Porquê ingressar?

Este país também é para jovens 

“Não gosto nem percebo de política”. É uma das expressões mais usadas pelos mais novos. Criticam as medidas, mas não são capazes de lutar pela mudança. Reclamam contra os partidos, mas não vão votar. Nas manifestações estão sempre os mesmos, as entrevistas são feitas sempre aos mesmos e nas reivindicações estão sempre os mesmos. Uns são os jovens que se acomodam e que deixam o seu futuro nas mãos dos outros. Os outros, que são capazes de lutar para conseguirem um futuro melhor para a geração que se diz à rasca.

São cinco jovens com a mesma idade daqueles que escolhem ficar em casa. São cinco ideologias que coincidem com algumas das dos jovens que preferem só contestar. Mas há uma diferença: são cinco jovens com vontade de mudar e de agir. Têm personalidades diferentes, os gostos não são os mesmos e não ocupam o tempo livre da mesma forma, mas uma coisa têm em comum: o interesse pela política.

A força feminina do distrito

Ana Bárbara PedrosaAna Bárbara e Francisca Goulart, representantes do Bloco de Esquerda e da Juventude Comunista Portuguesa, respectivamente, são o rosto feminino do distrito de Braga. São dinâmicas, faladoras e assertivas. A escrita desperta-lhes um gosto especial e, enquanto Francisca já escreveu canções para uma banda na qual era vocalista, Ana quer mesmo ser escritora literária. São as duas estudantes da Universidade do Minho. Com 20 anos a representante da Juventude Comunista está no curso de Psicologia e Ana em Línguas Aplicadas. O interesse pela política foi despertado pela família e à mesa, durante o jantar, já se falava de marxismo.

O lado masculino das Juventudes Partidárias

Mas não foi só no sexo feminino que a família teve um papel importante. Também nos rapazes deste grupo, o incentivo dos pais e amigos tornou-se fulcral para que fizessem parte de juventudes partidárias. Carlos Eduardo Reis, líder da juventude Social Democrata, é um jovem empresário. É, segundo o amigo Tiago Alves, “inimigo do fracasso” e quem o conhece diz que é uma pessoa empreendedora e determinada. Carlos é também, segundo o amigo, “adepto de um bom jantar e de uma boa piada” e o gosto por motos e viagens mostra o espírito, também irreverente, de Carlos. A política de Direita sempre foi tema de conversa lá em casa. O curso de Direito veio complementar este gosto e foi na Universidade Católica do Porto que começou a liderar, com a presidência da Associação Académica.

O percurso de Pedro Sousa é idêntico. Presidiu o departamento Pedagógico daPedro Sousa Associação Académica da Universidade do Minho e é finalista do curso de Direito. É actualmente líder da Juventude Socialista e foi a leitura dos programas políticos que o levou a esta escolha. A política ocupa-lhe a maior parte do tempo mas não consegue deixar de parte o vício pela leitura e pelas corridas. Sérgio Lopes também iniciou o seu percurso na liderança de uma Associação Académica. É finalista de Engenharia Informática, da Universidade de Famalicão, mas actualmente é a política que lhe ocupa os dias. A boa disposição e simpatia são as principais características que definem o líder da Juventude Popular. Sara Menezes, amiga de infância de Sérgio, define-o como “um jovem exemplar”.

A entrada nas Juventudes Partidárias

O associativismo foi um incentivo para estes cinco jovens ingressarem numa Jota, ou num partido. A vontade de mudar o país, de alterar algumas medidas e de lutar por uma melhor situação para os portugueses foram motivos que Sérgio Lopesfizeram com que estes cinco jovens não ficassem em casa. Todos os representantes afirmam que a família teve um papel importante na escolha do partido mas, Sérgio Lopes e Pedro Sousa assumem que, antes de ingressarem na JP e JS, respectivamente, tiveram curiosidade de ler as ideologias de todos os partidos. Para Sérgio é importante estar informado antes de decidir por uma estrutura partidária.

Francisca Goulart Francisca Goulart, representante do PCP, iniciou o seu percurso ainda no ensino básico. Sempre foi atenta aos problemas que iam surgindo à sua volta e gostava de impor a sua posição. Estar envolvida na política e, mais precisamente, fazer parte da Juventude Comunista, é para a jovem um motivo de orgulho.

Carlos Eduardo ReisAs cores partidárias são diferentes. As ideologias que defendem não são as mesmas. Mas estar ligado à política é um gosto partilhado por todos. Carlos Eduardo Reis é o líder da Juventude Social Democrata e, apesar do gosto ter nascido com o incentivo do pai – político há trinta anos -, foi no associativismo jovem que aperfeiçoou essa vontade e esse espírito de liderança.


O líder da Juventude Socialista, Pedro Sousa, também desde novo é porta-voz do sentimento, das preocupações e anseios dos outros. Há muitos anos que representa os jovens e, apesar de não ser uma tarefa fácil, dá-lhe muito prazer.


Ana Bárbara também desde cedo foi muito atenta aos problemas e sempre foi determinada na forma como gostava de mudar a sociedade. Para a jovem não havia outro caminho senão enveredar pela política.


São então cinco jovens autónomos, independentes e lutadores. São cinco jovens que não esperam que um melhor futuro lhes bata à porta. São eles que procuram melhores condições de vida, para eles e para o resto dos portugueses. Fazendo parte de uma Juventude Partidária ou então de um partido mais jovem, são cinco personalidades distintas que fazem da política uma actividade fundamental na sua vida.

Início

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s